Google+


MAB reúne trabalhos de oito artistas de São Paulo
Sobreposição e deslocamento é o nome da mostra que começa nesta quinta-feira no Museu de Arte.

O Museu de Arte de Blumenau (MAB) traz para a cidade exposição que reúne obras de oito artistas de São Paulo. Os trabalhos tentam desvendar as conformidades da sociedade pública, privada e determinações impositivas quanto a imagens do homem e da mulher - com seus consequentes questionamentos de padrões pré-estabelecidos -. A coleção faz parte da 4ª Temporada de Exposições que abre na noite desta quinta-feira, dia 13, na Fundação Cultural. 

Durante o evento o público poderá visitar as salas expositivas, participar da tradicional conversa com os artistas, acompanhar show musical e declamações de poesias. A programação começa às 19h com entrada franca.

As obras abordam e constatam um estado mal resolvido de um ser humano frente aos mecanismos e sistemas que ele mesmo cria. Compõem a exposição trabalhos produzidos com diversas técnicas: desenho, pintura, assemblagem, fotografia, objeto e instalação.

Os artistas

Carlos Pileggi (São Paulo - SP, 1973)
Desenvolve suas atividades artísticas onde quer que esteja e em São Paulo, sua cidade natal. Em 2013 obteve o título de Master in Fine Arts in studio Art pela Maine Collegeof Art (EUA), obtendo validação em território brasileiro pela Universidade de São Paulo. Desde então frequenta residências artísticas como NARS Foundation e Triangle Artist’s workshop (NY), CAMAC (França), Elefante Centro Cultural (Brasília) e W (Ribeirão Preto). Também foi artista conferencista na Tyler Schoolofart e Maine College of Art (EUA). Em 2018, participou do programa de exposições da Fundação Cultural Badesc (Florianópolis) com o projeto colaborativo Eclusa e no 43º Salão de Arte de Ribeirão Preto.

Daniel Antônio (Divinópolis - MG, 1978)
O artista geralmente parte da fotografia, seja em formato de cópias ampliadas, negativos ou em outros suportes, como fonte de pesquisa para as suas produções. Reside e trabalha em São Paulo (SP). É mestre em cinema pela Universidade Paris-Est e em literatura pela Sorbonne (Paris IV).

Daré (Regente Feijó-SP, 1969)
Em meio a obras pontuais ou de pequena extensão, alguns projetos simultâneos de longa duração têm norteado seu processo criativo. Consideradas pelo artista como peças dialógicas de um mesmo discurso em construção expresso em pinturas, instalações, performances e obras conceituais; refletindo os possíveis papéis da pintura hoje e as potencialidades da execução da obra de arte como meio de investigação filosófica. Reside e trabalha em Ribeirão Preto.

Élcio Miazaki (São Paulo - SP, 1974)
Com formação em arquitetura e urbanismo (FAU-USP), dedica-se a projetos cujas criações lidam com extensões de corpos e limites dos suportes. Como temas, a infância, a memória, o patrimônio, o cotidiano e a ausência são recorrentes em diferentes graus e combinações. Demonstra a importância e a dependência do ‘outro’ para que suas criações passem a existir. Tem sido recorrente também a preocupação em ‘reconstituir um contexto’ por meio de materiais de época (principalmente das décadas de 1970 e 1980), nas quais o Brasil passou pela Regime Militar e redemocratização, que coincidem com os anos de infância do artista. Reside e trabalha em São Paulo (SP).

Mariana Whately (Ribeirão Preto - SP)
A pesquisa e produção de Mariana abordam os aspectos ambíguos e precários do ser como fragmentações e tensões humanas. Questões ligadas ao universo feminino são uma constante em suas obras, reforçadas por meio do uso de recursos e técnicas como a costura e o bordado sobre suportes variados. Participou de grupo de estudos orientado pela artista Laura Vinci (MUBE, São Paulo, 2000-2002), tem graduação em Artes Plásticas pela FAAP (São Paulo, 2004) e pós- graduação em Arteterapia pela FIZO (São Paulo, 2005). Mariana vive e trabalha em Ribeirão Preto (SP).

Sandra Lapage (São Paulo - SP)
Interessada em elevar materiais e objetos tradicionalmente considerados mundanos, imperfeitos e inúteis, descartados do cotidiano para revelar qualidades estéticas que são habitualmente desconsideradas. Coleta objetos encontrados no entorno e os arranja em assemblagens, esculturas efêmeras e ambientes, interferindo nas operações de cada artista, criando assim camadas sucessivas de respostas poéticas. Sandra Lapage se formou pela FAUUSP em 2000 e recebeu seu mestrado em poéticas visuais pelo Maine College of Art em 2013, revalidado pela USP. Além do seu trabalho solo, desenvolve um trabalho colaborativo no coletivo Eclusa e mantém, com outros três artistas, a Casa Nubam – um espaço de trabalho, cursos e exposições experimentais, na Vila Madalena, em São Paulo.

Santacosta (São Paulo - SP, 1983)
Santacosta, nascido em São Paulo, vive e trabalha na Capital. Bacharel em design de moda pela Universidade Anhembi Morumbi (2005), também cursou artes visuais na FAAP. Participou de cursos no MAM-SP, Escola Panamericana e na London University of the Arts, atualmente faz parte do grupo de acompanhamento Hermes Artes Visuais. Seu trabalho busca a interação entre pintura e objeto. Partindo de uma colagem de diversos materiais, o artista cria colagem entre telas, madeira, blocos de concreto, diferentes tintas, entre outros objetos cotidianos que remetem a uma assemblagem urbana, propondo assim uma ativação do espaço que o circunda.

Thais Stoklos (São Paulo - SP, 1978)
Seu trabalho se faz com diferentes materiais, a maioria banais, muitas vezes extraídos do cotidiano. Esse descarte é combinado em novas formas, traçando caminhos ou construindo monumentos efêmeros. Pereniza a importância do sutil, entre a fugacidade do contemporâneo. O novo arranjo foge da utilidade original, e cria-se um objeto à parte, relacionado com seu tempo e espaço. Nasceu na África do Sul e reside em Sã Paulo. É formada em Pedagogia (2000) pela PUC SP e pós-graduada em Imagem e Som pelo Senac (2005).

Abertura da 4ª Temporada de Exposições no MAB
Quinta-feira, 13 de setembro

Horários:

19h: conversa com os artistas expositores
20h: abertura da 4ª Temporada de Exposições do MAB, lançamento do livro, declamação de poema e apresentações musicais
Visitas: até 21 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h
Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176
Entrada franca

Exposições:

Sala Especial: Xilogravura: a poética do olhar – 40 anos de trajetória, de André de Miranda
Sala Roy Kellermann: Deambulações, de Jociele Lampert
Sala Elke Hering: Kelly Kreis e José Maria Dias da Cruz
Galeria Municipal de Arte/Sala Alberto Luz: Sobreposição e deslocamento, de Carlos Pileggi, Daniel Antonio, Daré, Élcio Miazaki, Mariana Whately, Sandra Lapage, Santacosta e Thais Stoklos
Galeria do Papel: Cooperação, de Tomas Barth
Mausoléu Dr.Blumenau e Espaço da Memória Cultural de Blumenau: Enigma da Visão - curadoria de Brugnera e Massimo Scaringella – parceria com a Mostra Sul Blumenau

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello



postada em 13/09/2018 08:30 - 222 visualizações



Fotos
  • Foto: Daré / Divulgação
  • Foto: Élcio Miazaki / Divulgação
  • Foto: Daniel Antônio / Divulgação
  • Foto: Sandra Lapage / Divulgação
  • Foto: Thais Stoklos / Divulgação
  • Foto: Mariana Whately / Divulgação
  • Foto: Santacosta / São Paulo