Google+


Entenda o funcionamento do Parque das Itoupavas
Local passa por limpeza para ser reaberto ao público novamente.

O Parque Alcântaro Corrêa, mais conhecido como Parque das Itoupavas, foi inaugurado há pouco mais de um ano com o intuito de proporcionar um espaço de lazer aos moradores da região norte de Blumenau, e nesta última semana, passou pela sua primeira cheia.

A exemplo do Parque Barigui em Curitiba e de outros parques drenantes pelo mundo, o Parque das Itoupavas foi criado dentro de conceitos de Sustentabilidade. Um rio, saindo de seu nível normal, precisa ter áreas que funcionem como depósito de suas águas, evitando que elas cheguem com maior rapidez aos rios e, consequentemente, aumentando seus níveis, atingindo com maior rapidez as moradias próximas.

Com a subida das águas do Ribeirão Itoupava, que tem parte do seu percurso adjacente ao local, toda a área ficou imersa. Muito se questiona sobre a viabilidade do terreno escolhido para construir a estrutura, visto que o parque é alagado com certa frequência por estar localizado em uma região baixa e próxima ao rio.

No entanto, é importante ressaltarmos que desde a concepção do espaço, os alagamentos foram levados em consideração. Além de ser utilizado como área de lazer, o parque foi idealizado para servir como uma grande bacia de retenção das águas vindas do Ribeirão Itoupava em épocas de chuva. Neste primeiro teste, podemos concluir que o projeto cumpriu essa função, além disso, protegeu localidades como a Rua 1º de Janeiro, por exemplo.

Em relação ao mobiliário urbano e outras estruturas existentes, eles também foram planejados e projetados levando em consideração aos alagamentos que a região está suscetível. A casa enxaimel em um ponto elevado e a estrutura em pilotis, por exemplo, foram idealizadas justamente para que as inundações não as atingissem. Já outros equipamentos instalados abaixo, como o parque infantil e os bancos, são facilmente limpos para devolver ao uso da comunidade.

Nesta primeira cheia, não houve registro de danos, sendo necessária apenas a limpeza do espaço. É importante ressaltar, inclusive, que a água utilizada nesse procedimento é oriunda do rio, não gerando desperdício de água tratada da rede para tal operação. O funcionamento do Parque das Itoupavas em breve retornará ao normal.

Assistente de Comunicação: Eduardo Luciani



postada em 06/05/2022 15:59 - 613 visualizações



Fotos