Google+


Varíola dos macacos: entenda como ocorre a transmissão e os sintomas da doença
Apesar do nome dado pelas autoridades de saúde e diferente do que muitas pessoas pensam a doença não é transmitida pelos macacos.

A Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) e do Serviço de Vigilância Epidemiológica da cidade tem alertado os profissionais de saúde que trabalham em unidades de saúde sobre a nova varíola. Conforme a Nota de Alerta nº 13 da DIVE/SC a transmissão da doença pode ocorrer por contato direto ou indireto com sangue, fluidos corporais, lesões na pele ou mesmo contato sexual íntimo.

Os principais sintomas são febre e erupção cutânea, mas as pessoas também podem apresentar calafrios e linfadenopatia - inchaço em pequenas glândulas, especialmente em regiões perto do pescoço. A doença não tem, na maioria dos casos, consequências graves. No entanto, o melhor caminho é o esclarecimento e a prevenção.

A varíola dos macacos é uma zoonose causada pelo vírus monkeypox, do gênero Orthopoxvirus, pertencente à família Poxviridae. A essa família, também pertencem os vírus da varíola e o vírus Vaccínia, a partir do qual a vacina contra varíola foi desenvolvida. Apesar do nome dado pelas autoridades de saúde e diferente do que muitas pessoas pensam a doença não é transmitida pelos macacos.

No último sábado, dia 13, a DIVE/SC confirmou mais dois casos positivos da doença em Blumenau. São dois homens de 30 anos, moradores da cidade. Ambos são considerados estáveis e seguem em isolamento domiciliar. Até agora, o município registra ao todo cinco casos da doença.

O Monkeypox pode se espalhar para qualquer pessoa por meio de contato próximo, pessoal, muitas vezes pele a pele, incluindo:

• Contato direto com erupção cutânea, feridas ou crostas das lesões;
• Contato com objetos, tecidos (roupas, roupas de cama ou toalhas) e superfícies que foram usadas por alguém com a infecção;
• Através de gotículas respiratórias ou fluidos orais de uma pessoa infectada.

Esse contato pode acontecer durante o contato sexual íntimo, incluindo:

• Sexo oral, anal e vaginal ou tocar os genitais ou o ânus de uma pessoa infectada pelo Monkeypox;
• Abraçar, massagear, beijar ou conversar próximo da pessoa infectada;
• Tocar tecidos e objetos durante o sexo que foram usados por uma pessoa infectada, como roupas de cama, toalhas e brinquedos sexuais.



postada em 16/08/2022 10:42 - 1581 visualizações



Fotos