Google+


Dengue: Blumenau recebe veículo da DIVE com fumacê para combater Aedes Aegypti
Município registra 94 casos confirmados entre janeiro e março.

Foto: Marcelo Martins

Na última terça-feira, dia 22, os agentes de endemias da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus) receberam reforço da Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (DIVE) no combate ao mosquito Aedes Aegypti. Isso porque, de janeiro até agora, Blumenau já registra 365 notificações. Destas, 94 são casos confirmados, sendo 13 casos importados e 81 autóctones, ou seja, contraídos na cidade.

Um veículo da DIVE fez uma pulverização automatizada, intensificando ações nas ruas Engenheiro Weitnauer e Maria Balbina Zimmermann, na Escola Agrícola, onde há registro de mosquitos contaminados transmitindo a doença. Os agentes da prefeitura orientaram que as pessoas abrissem portas e janelas de residências e comércios para facilitar a ação do inseticida. O produto, segundo os biólogos não é prejudicial a humanos nem animais.

Desde janeiro, os agentes de endemias do município seguem fazendo a pulverização manual com Ultra Baixo Volume (UBV), popularmente conhecido como fumacê no bairro Escola Agrícola que concentra 50% dos locais de contaminação no município. Os bairros Garcia, Velha Itoupava Norte, Água Verde e Vila Nova também estão recebem o serviço. 

Atualmente, dos 35 bairros da cidade, 17 são considerados infestados e são monitorados diariamente. São eles: Água Verde, Centro, Do Salto, Escola Agrícola, Garcia, Fortaleza, Itoupavazinha, Itoupava Norte, Itoupava Seca, Jardim Blumenau, Ponta Aguda, Salto do Norte, Tribess, Velha, Velha Central, Vila Nova e Victor Konder. 

Vigilância Epidemiológica emitiu alerta
Na última quarta-feira, dia 16, o Serviço de Vigilância Epidemiológica do município emitiu uma nota de alerta para as unidades de saúde da atenção básica. O comunicado foi feito em virtude do aumento do número de casos de Dengue registrados no município. O Aedes Aegypti é responsável pela transmissão da dengue, febre amarela, zika e chikungunya.

De janeiro até esta terça-feira, dia 22, os agentes identificaram 1.667 focos do mosquito Aedes Aegypti. No mesmo período do ano passado eram 1.199 focos, o que representa um aumento de 39% no período.

Sinais e sintomas
A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

As pessoas que apresentem os sintomas da doença devem procurar atendimento nas unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) ou Ambulatório Geral (AG). A busca por atendimento em caso de suspeita permite evitar o agravamento do quadro e inclusive a evolução para o óbito.


Assessor de Comunicação: João Vitor Korc



postada em 23/03/2022 09:21 - 738 visualizações



Fotos
  • Foto: Marcelo Martins
  • Foto: Marcelo Martins
  • Foto: Marcelo Martins