Google+


Blumenau tem serviço especializado para pacientes com Fissura Labiopalatina
24 de junho é Dia Municipal de Conscientização sobre a Fissura Labiopalatina.

Este dia 24 de junho é o Dia Municipal de Conscientização sobre a Fissura Labiopalatina, conforme a lei Nº 8624/2018. Em Blumenau, pessoas que necessitam de tratamento de saúde relacionadas à lesão de lábio e/ou de palato têm a disposição o Núcleo Integrado de Atendimento ao Fissurado Lábio Palatal (Niaf). O serviço da Prefeitura para o atendimento especializado é feito por meio do SUS, com profissionais da área de assistência social, fonoaudiologia, médico pediatra, psicólogo e dentista. O encaminhamento é feito pelas unidades de atenção básica.

O início da estruturação do serviço ocorreu em abril de 1997 e de lá pra cá foram cadastrados mais de 540 pacientes. Em média, duzentos pacientes ainda estão em tratamento, atualmente. Além da prestação de atendimento dos pacientes com fissura labiopalatina, o Niaf também faz o encaminhamento aos serviços de referência estadual e nacional para a realização das cirurgias corretivas e demais especialidades não existentes na região.

Tratamento da Fissura
O tratamento é complexo e longo e a reabilitação total pode levar entre 18 a 25 anos. Por isso, o planejamento varia de acordo com os problemas específicos de cada caso, exigindo um grande esforço e dedicação dos pacientes e de seus familiares. Não é só a cirurgia corretiva que reabilita a pessoa com fissura, mas também o acompanhamento médico, fonoaudiológico, psicológico, odontológico, ortodôntico e serviço social, entre outros.

Conheça mais o serviço
O Niaf oportuniza o tratamento terapêutico adequado às necessidades dos pacientes nas seguintes áreas:

- Serviço social: orientação e sensibilização às famílias e usuários em relação ao tratamento e facilitar o acesso às políticas públicas existentes;

- Pediatria: avalia o estado clínico geral dos pacientes, visando o acompanhamento de sua saúde e a preparação para as cirurgias nos centros de referências;

- Fonoaudiologia: visa prevenir e corrigir os distúrbios de fala e adequação da voz;

- Psicologia: desenvolve um trabalho de apoio psicológico, por meio de aconselhamento e /ou psicoterapia às pessoas com fissura labiopalatina e familiares para que possam superar possíveis dificuldades emocionais, causadas pela deformidade congênita;

- Odontologia: atua na prevenção, controle e tratamento das doenças bucais, possibilitando que os pacientes com fissura labiopalatina tenham boa condição bucal para que as cirurgias reparadoras e, posteriormente os tratamentos reabilitadores sejam realizados;

- Serviço de Referência: os pacientes são encaminhados aos centros de referências para a realização de cirurgias corretivas e demais especialidades não disponíveis na região.

Assessora de Comunicação: Marília Prado

 



postada em 24/06/2019 17:01 - 1493 visualizações



Fotos
  • Foto: Michele Lamin
  • Foto: Michele Lamin
  • Foto: Michele Lamin