Google+


Blumenau retoma práticas integrativas no tratamento de pacientes do SUS
Yoga, meditação, acupuntura, auriculoterapia e reiki são algumas das atividades oferecidas gratuitamente.

A Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus), vem fortalecendo as estratégias para ampliar a prevenção e promover mais saúde para a comunidade. No mês passado, as Práticas Integrativas e Complementares (PICs) que foram suspensas por conta da pandemia de Coronavírus começaram a ser retomadas gradualmente nas unidades de saúde do município. As reuniões e ações em grupos seguem suspensas.

Das 32 unidades que possuem alguma prática, 18 já voltaram a oferecer o serviço na atenção básica com ações individuais. Entre as atividades estão acupuntura, auriculoterapia, reiki, hortas medicinais, yoga e meditação. Os tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais e populares integrados a ciência moderna, também podem ser usadas como tratamentos complementar em algumas doenças crônicas.

Em 2019, mais de 700 pessoas participaram regularmente de grupos de atividades relativas a essas ações no município. A atividade mais procurada foi a meditação com 364 pessoas que participaram de 51 encontros. Entre os locais de atenção especializada que contam com as ações está o Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS AD), o Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM), o Centro de Saúde do Idoso (CSI) e o Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD).

A moradora do bairro Escola Agrícola, Angela Maria Marciano, teve Covid-19 e passou 30 dias internada. A blumenauense chegou a ser intubada e teve 75% do pulmão comprometido pela doença. Durante o tratamento Pós-Covid-19, Angela recebeu acompanhamento do Serviço de Atendimento Domiciliar (SAD) por meio das Práticas Integrativas e Complementares (PICS). "Durante um mês, recebi acompanhamento semanal pela equipe do SAD que utilizou acupuntura e reiki no meu tratamento. Eu sentia muita falta de ar, e minha tosse que já era crônica piorou por causa da doença. Agora, depois de fazer o tratamento me sinto mais disposta e só tenho a agradecer a equipe pelo trabalho”, afirma a usuária depois de receber alta.

O coordenador Municipal das Práticas Integrativas e Complementares da Semus, enfermeiro Tarcísio José da Silva, destaca que “a prioridade hoje, além da retomada gradual e responsável das atividades, é a elaboração de fluxos e de planos de trabalho que possam dinamizar o acesso para toda a população da cidade, possibilitando que todas as pessoas possam acessar e conhecer os benefícios das PICs”, afirma.

As Práticas Integrativas
De acordo com definição do Ministério da Saúde, as Práticas Integrativas e Complementares (PICS) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais e populares integrados a ciência moderna. Também podem ser usadas como tratamentos paliativos em algumas doenças crônicas.

Todo usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) pode ter acesso às práticas integrativas com profissional especializado. A implementação das práticas nas unidades de saúde acontece a medida que a unidade tem o profissional qualificado. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato com a unidade de saúde mais próxima da residência.

Assessor de Comunicação: João Vitor Korc



postada em 17/08/2021 15:55 - 693 visualizações



Fotos