Google+


Blumenau adota protocolo de manejo clínico da dengue criado pelo Estado
A estratégia tem o objetivo de proporcionar uma atuação mais assertiva na classificação do usuário

Dar agilidade e suporte aos profissionais de saúde. Com este objetivo, a Prefeitura de Blumenau, por meio da Secretaria de Promoção da Saúde (Semus), adotou o protocolo de manejo clínico da dengue criado pelo Estado. A estratégia dará a oportunidade do profissional atuar de forma mais assertiva na classificação do usuário e decidir o tratamento. Blumenau já possui um protocolo de manejo, mas o aplicativo auxilia e agiliza a tomada de decisão.

Conforme divulgado pelo Estado, o aplicativo permite a identificação do estágio da doença e tratamento de cada paciente através de características, sinais e sintomas. Os grupos da classificação de risco são A, B, C e D, e eles se diferenciam pelos sintomas, sinais de alarme e características sociais e demográficas dos indivíduos.

O secretário de Promoção da Saúde, Marcelo Lanzarin, diz que adoção de um protocolo de manejo clínico da dengue por parte de Blumenau é um passo significativo no combate à doença, já que a ferramenta auxilia o profissional em como proceder em casos de suspeita de dengue apenas preenchendo os dados no App. “A medida reflete um esforço conjunto para padronizar e melhorar a qualidade do atendimento aos pacientes que buscam as nossas unidades de saúde.”

Para a responsável pela gestão regulatória, Jaqueline Mocelin, a implementação desse protocolo em Blumenau visa unificar o atendimento aos pacientes com dengue. “A adesão irá melhorar a eficácia do tratamento e contribuirá para a redução da morbidade e mortalidade associadas à doença. Além disso, reforça a necessidade de uma abordagem integrada, que combina o manejo clínico, com medidas de controle do vetor e ações de educação e prevenção na comunidade.”

Nesta quarta-feira, dia 3, Blumenau contabiliza 18.272 casos prováveis e seis óbitos. 

Sinais e sintomas
A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

Combate à dengue em Blumenau
Pontos de hidratação

Como forma de ampliar o atendimento para pacientes com a doença foi estruturado e ampliado mais de 500 pontos de hidratação nas unidades de saúde do município.  O caminho para acesso é sempre o posto de saúde de referência do usuário. 

Central de Monitoramento
Assim como no período da pandemia de Covid, a Prefeitura de Blumenau acionou uma Central de Monitoramento com 12 profissionais preparados para atender os casos  prováveis de dengue do município e acompanhar a evolução na cura da doença. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com o objetivo de detecção precoce de sinais de sintomas de alerta ou gravidade, e, também, para acompanhar o hemograma de controle.  A Central fica na Escola Técnica do SUS (ETSUS) e o atendimento acontece de forma ativa pelo telefone. Vale lembrar que a equipe vai priorizar os casos com comorbidades associadas e o paciente só ganhará a alta da Central depois da avaliação médica.

Centro de atendimento dengue
Para garantir atendimento a todos os pacientes e auxiliar no acolhimento das unidades de saúde e como retaguarda para os hospitais foi criado o Centro de atendimento dengue (CAD) em Blumenau. Mais de 5.060 consultas foram realizadas no local, que recebeu melhorias. O espaço passa a contar com um local para infusão, confortável e restrito. São 60 poltronas disponibilizadas à população que precisa permanecer mais de 5 horas no Centro para administração de medicamentos endovenosos e subcutâneos.

Tanto o CAD, quanto o espaço para infusão estão localizados no Campus 3 da Furb, na Rua São Paulo, 2.171. O expediente, da equipe multiprofissional de 20 pessoas - composta por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem - acontece em formato de porta aberta, sete dias por semana, incluindo feriados, com horário ampliado das 7h à meia-noite.

Aquisição de pulverizadores
A partir desta semana, a equipe de combate à dengue passará a contar com mais três pulverizadores. A aquisição ampliará e otimizará a área de atuação dos agentes.

Recolhimento de materiais e entulho
Os agentes de endemias seguem vistoriando residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos do mosquito, mas a população também pode denunciar locais com possíveis focos. Basta entrar em contato com o programa de combate à dengue, por meio do OuvidorSUS, no 156 (opção 4) ou pelo WhatsApp (47) 3381-7770. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Conforme a demanda, além do intensivo trabalho dos agentes de endemias, as equipes da Secretaria de Conservação e Manutenção Urbana (Seurb) e do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) são acionadas para recolher materiais e entulhos em locais específicos.

O descarte de eletrodomésticos da linha branca e móveis inservíveis também pode ser solicitado pela população por meio da Central de Resíduos Sólidos do Samae, localizada na Rua Engenheiro Udo Deeke, 430 - fundos do Terminal Aterro. No local, a equipe dá a destinação correta para cada tipo de resíduo. O serviço não tem custo. Mais informações podem ser obtidas diretamente pelo telefone 115.

 

 

Assessora de comunicação: Elaine Malheiros



postada em 03/04/2024 14:57 - 667 visualizações



Fotos