Google+


Prefeitura apresenta plano de ação para retomada econômica em Blumenau
Objetivo é diagnosticar setores mais afetados pela pandemia e elaborar estratégia conjunta de recuperação.

A Prefeitura de Blumenau apresentou nesta segunda-feira, dia 22, o Plano de Ação para a Retomada Econômica no município. Conforme anunciado pelo prefeito Mário Hildebrandt, em coletiva de imprensa on-line, o objetivo é elaborar estratégias em conjunto com a iniciativa privada, a partir do diagnóstico dos setores mais afetados pela pandemia causada pelo coronavírus.

Desde o primeiro decreto de quarentena no estado de Santa Catarina, a prefeitura vem trabalhando em ações imediatas para mitigar os impactos econômicos, como a prorrogação de taxas para os setores turísticos, de eventos e restaurantes; a criação do selo "Produzido em Blumenau", para fortalecimento de produtos locais; e a flexibilização do registro e licenciamento de MEIs na cidade.

Os investimentos que a Prefeitura tem feito em obras no município, na ordem de R$ 318 milhões, também são ações imediatas para o estímulo econômico, por meio da geração e manutenção do emprego e renda. A Prefeitura também trabalha na criação do Programa Juro Zero, que permitirá aos MEI’s acesso a crédito junto às instituições financeiras. 

O Plano propõe também uma ampliação nas ações municipais, com a realização de workshops virtuais com os atores econômicos da cidade, para discutir outras medidas de curto prazo a serem implementadas pelo poder público e por parceiros, além de promover ações de comunicação voltadas para a retomada econômica.

Entre as medidas previstas e que farão parte das discussões dos workshops, estão o planejamento de ações voltadas para o turismo, apoio a projetos culturais, economia criativa, além de incentivos aos demais setores por meio do Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal (Pedem). O primeiro workshop com a participação de setores externos ocorrerá no dia 24, voltado para o setor de Economia Criativa.

Diagnóstico

Durante os workshops, a Prefeitura conduzirá também pesquisas com os diversos setores econômicos. Essas avaliações serão respondidas de forma virtual e servirão para mapear a percepção que a sociedade tem de setores mais afetados, principais problemas econômicos gerados pela pandemia e de que forma o município pode auxiliar na retomada. 

Segundo dados das secretarias da Fazenda (Sefaz) e de Desenvolvimento Econômico (Sedec), houve impacto no saldo de empresas em Blumenau, no comparativo entre os meses de janeiro a maio de 2019 e 2020. No ano passado, Blumenau contava com saldo de 1368 empresas, número que este ano ficou em 1022. Isso corresponde a uma retração econômica de 25%, com fechamentos significativos em alguns setores da economia.

Outros dados dão ainda uma dimensão mais concreta da crise. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), cerca de 6 mil pessoas perderam o emprego em Blumenau desde o início da pandemia. Tal número, confrontado com o de contratações, resultou num saldo de 1.883 empregos a menos na cidade até abril.

O resultado disso se reflete na arrecadação, que já sofre impactos. A perda para este ano está estimada em R$ 177 milhões, segundo a Secretaria da Fazenda. Ainda, segundo dados do município, o ICMS em Blumenau teve retração de 29% em comparação a maio de 2019; e o ISS, apresentou redução de 8,4% neste mesmo período.


Assessora de Comunicação: Aline Franzoi Santos Fleith



postada em 22/06/2020 09:44 - 1236 visualizações



Fotos