Google+


Samae conclui implantação de 30 fossas ecológicas na Nova Rússia
A alternativa atende às propriedades desprovidas de coleta e tratamento do esgoto doméstico

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Blumenau e o Rotary Club Blumenau Garcia concluíram a implementação de 30 fossas ecológicas na localidade da Nova Rússia, com treinamento individualizado das famílias contempladas. A construção das fossas ecológicas, do tipo Tanque de Evapotranspiração (Tevap), teve início em junho de 2023, em propriedades desprovidas de atendimento, coleta e tratamento do esgoto doméstico, realizado pela concessionária BRK Ambiental.

A ideia inicial do projeto foi concebida pelo técnico do Samae, Humberto Brusadelli, com o objetivo de apresentar alternativas de esgotamento sanitário e proteger a única fonte de captação de água para a ETA III, o Ribeirão Garcia, cujas principais nascentes se situam dentro do Parque Nacional da Serra do Itajaí, uma unidade de conservação federal. "O apoio do Rotary foi fundamental para a captação dos recursos para a construção das fossas. As famílias foram selecionadas conforme critérios de vulnerabilidade socioambiental", conta.

Todas as famílias contempladas passaram por dois treinamentos. A primeira etapa teve o intuito de demonstrar, de forma teórica e prática, como monitorar o funcionamento dessa alternativa de tratamento de esgoto. A segunda etapa foi realizada individualmente, após a entrega das estruturas. “Reforçamos o treinamento inicial e entregamos um termo de responsabilidade para cada família. Agora, eles são responsáveis em realizar a manutenção da fossa”, explica Brusadelli.

A avaliação do impacto do projeto será feita por meio de análise comparativa da qualidade do manancial antes e após a implantação dos sistemas de tratamento. É possível utilizar a fossa ecológica como instrumento de educação ambiental, já que esta exemplifica concretamente os quatro pilares do saneamento (água, esgoto, resíduos e drenagem). “A Tevap reaproveita a água do vaso sanitário, faz o tratamento do esgoto, tem a superfície permeável, contribuindo com a drenagem e ainda faz a reutilização de resíduos sólidos como material de preenchimento quando é construída", destaca Brusadelli.

Além disso, essa forma de tratamento alternativo desperta a curiosidade dos visitantes da Nova Rússia, promovendo uma nova modalidade de turismo, o turismo baseado em soluções. O investimento total para a construção das trinta fossas foi de R$ 305 mil, sendo R$ 85 mil provenientes do Rotary Clubs de Santa Catarina, R$ 120 mil do Rotary Club do Texas (EUA) e R$ 100 mil da Fundação do Rotary Internacional. O projeto também recebeu o apoio dos Rotarys Club Açu e Fritz Müller.

Atualmente, Blumenau possui 37 fossas ecológicas, das quais 30 foram construídas com recursos do Rotary; uma está instalada na ETA III; uma no CEI Emília Piske, no bairro Fortaleza Alta e cinco foram custeadas pelos próprios moradores sob a orientação dos técnicos do Samae.



postada em 27/02/2024 16:08 - 829 visualizações



Fotos