Google+


Werner Neuert e Marco Antônio Struve lançam livro no MAB
Indayal, uma vila em Blumenau: 1860-1934 será apresentado ao público na noite de abertura da 4ª Temporada de Exposições, no dia 8 de setembro.

O livro “Indayal, uma vila em Blumenau: 1860 – 1934”, de autoria de Werner Neuert e Marco Antônio Struve, é um registro da história daquele que viria a ser o município de Indaial, no período compreendido desde a circulação dos povos pré-coloniais pela região até a sua emancipação político-administrativa de Blumenau, em 1934. O lançamento será na quinta-feira, dia 8 de setembro, às 20h, durante a abertura da 4ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB).

Quando começa a história de Indaial? Esta é uma pergunta, por assim dizer, irrequieta. Para algumas pessoas, ela tem uma resposta simples: 1934, quando é criado o município após sua emancipação política de Blumenau. Ou 1848, quando Hermann Blumenau descreveu a paisagem da confluência entre a foz do Rio Benedito e Itajaí-Açu. Ou ainda em 1856, quando a região da foz do Ribeirão Encano começou a ser habitada. Em 1863, quando os lotes até a foz do Rio Benedito foram demarcados por Emil Odebrecht e começaram a ser ocupados. Em 1889, quando foi criado o distrito de Indaial, em 1893, quando o distrito foi elevado à categoria de vila e transformado em município até retornar à condição anterior de distrito, em 1894, ao fim da Revolução Federalista. Ou até milhares de anos antes, quando a área era ocupada por etnias autóctones, como as do povo Laklãnõ/Xokleng.

Não importa a data escolhida para olhar para trás. Antes é preciso entender que uma cidade não nasce em um momento único, antes vai nascendo a partir do encontro de pessoas dentro de um espaço geográfico que vai sendo modificado, transformado, formado. Esta história de Indaial, se assim puder ser chamada, não pretende ser uma obra de erudição, nem ser original na interpretação da sociedade indaialense, nem sequer revelar fatos ainda desconhecidos dos pesquisadores da história. Sua singela pretensão é de popularizar o que talvez possa ser chamado de gênese e desenvolvimento da sociedade que se constituiu no município.

 

Tema central

 

Embora o tema central seja Indaial e sua história a partir da Colônia Blumenau, os capítulos iniciais tratam dos Laklãnõ/Xokleng – os primitivos habitantes do atual território indaialense – e da chegada ou da passagem dos primeiros europeus por Santa Catarina. Inserir a localidade num contexto espacial e temporal um pouco mais amplo pareceu ser útil aos autores para a compreensão da história do município. “Obviamente, não tivemos nenhuma pretensão de originalidade no que tange à história de Santa Catarina ou à história e cultura Laklãnõ/Xokleng. No que se refere especificamente à história de Indaial, nos utilizamos de fontes primárias, mas também de pesquisas e publicações daqueles que nos antecederam. Talvez melhor do que História fosse mais apropriado referirmo-nos ao conteúdo desta modesta obra como sendo uma crônica comentada de Indaial”, escrevem os autores.

 

Saiba mais

Abertura da 4ª Temporada de Exposições no MAB

Data: quinta-feira, dia 8 de setembro

Horários:

19h: conversa com os artistas expositores

20h: abertura da 4ª Temporada de Exposições do MAB, lançamento de livro e apresentação musical

Visitação: até 26 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h

Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Classificação indicativa de idade: Livre

Entrada gratuita

Os autores do livro

Werner Neuert é leitor, escritor, historiador, advogado, diácono permanente da Igreja Católica. Autor dos livros Do Ofício de Matar Bois (editora Garapuvu, 1999); A Terra estava Vazia e Vaga (editora Hemisfério Sul, 2002); O Ofício Divino (edição do autor, 2003); A Primeira vez que Betão Morreu (edição do autor, 2018), este em parceria com Rubens Ayrton Schütz. Tem contos nas antologias: Nossos Melhores Contos (editora Garapuvu / Fundação Hassis, 2003) e O Novo Conto Catarina (editora da UFSC, 2008), além de contos, crônicas e artigos publicados em jornais e revistas catarinenses.

Marco Antônio Struve é escritor, historiador, odontólogo, artista visual, membro do conselho editorial da Revista Indaial Conhecendo Sua História e membro da Academia de Letras do Brasil - Seção de Indaial. Como artista visual participou de exposições no Brasil e Exterior. Como escritor, participou dos livros Literatura em Indaial: Poetas e Escritores (Fundação Indaialense de Cultura, 1997) e Lentes & Letras (2009). É autor dos livros Equilíbrio Impossível (edição do autor, 1998); A Arte de Ser Imperfeito (edição do autor, 1999); Orações no Caminho do Servir (Lions Clube de Indaial, 2002). Possui textos e imagens publicados no país e Exterior.

 

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello



postada em 01/09/2022 13:30 - 395 visualizações



Fotos
  • Foto: Divulgação