Google+

Bairro Ribeirão Fresco

Avenida Duque de Caxias (Rua das Palmeiras). Foto: Marcelo Martins.

    
O bairro foi oficializado pelo prefeito Frederico Guilherme Busch Júnior através da Lei nº. 717, de 28 de abril de 1956. No mapa da Colônia de Blumenau, de 1864, já constava o nome do Rribeirão Fresco, bem como o traçado do caminho principal que conduzia ao Kühler Grund (Solo Fresco), denominação usada pelos primeiros imigrantes.

É um vale estreito com uma planície de 200 a 300 metros de largura, com muitos mananciais, que amenizam a temperatura nos verões quentes. O bairro estava dividido em região do Vale, área baixa e sujeita a enchente com dez metros e a região Urbana, fazendo parte do ex-Stadtplatz.

Na margem direita do ribeirão constavam quatro lotes coloniais e oito na margem esquerda. O imigrante Dittrich implantou, no fundo do vale, o primeiro matadouro da região com equipamentos que trouxe da Alemanha.

A principal rua do bairro era denominada Pastor Oswaldo Hesse, que mudou seu nome para rua Mato Grosso com a lei da nacionalização, sendo que em 20 de janeiro de 1953, retorna seu nome para Pastor Oswaldo Hesse. No morro da Garuva, onde está a nascente do Ribeirão Fresco, foi aberta uma estrada que dá acesso ao município de Gaspar, pela localidade de Gasparinho.

A pedra fundamental da Igreja Evangélica de Confissão Luterana - Paróquia Blumenau Centro foi lançada em 23 de outubro de 1868 pelo Pastor Oswaldo Hesse, sendo o arquiteto Henrique Krohberger. Nos fundos da igreja está o cemitério onde se encontra o túmulo de Fritz Müller. 

O Pastor Oswaldo Hesse foi contratado pela Comunidade Evangélica, em 1857, sendo ainda, professor de uma escola particular, que foi construída próxima à igreja. Nesta escola foi construída uma dependência que lhe servia de moradia.
 

Links Relacionados
Perfil Completo do Bairro Ribeirão Fresco
Mapa do Ribeirão Fresco